Imagem Lateral
home
Menu Lateral
Historia dos Vitrais Artísticos
Seta Historia Mosaicos mosaicos

Desde os tempos remotos o homem começou a fazer uso do vidro para construir janelas dando origem às primeiras formas de vitrais artísticos.

Inicialmente de proveniência oriental, eram compostos exclusivamente pela colocação lado a lado de vidros coloridos unidos entre eles pelo rejunte formando figuras abstratas. Sucessivamente, no transcorrer do século VIII encontrou aplicação e desenvolvimento no mundo ocidental difundindo-se a utilização da tela de chumbo que consente um amplo emprego do vitral em diversas e arrojadas soluções arquitetônicas. No curso do século sucessivo a introdução da grisaglia consentiu um refinamento da expressão pictórica criando um sombreado e evidenciando particularidades do desenho mediante a utilização deste pó que é espalhado, retocado e então fixado sobre o vidro depois do cozimento.

Nos séculos seguintes predominou a utilização do vidro para a criação de vitrais na arquitetura religiosa. É sobretudo a França que acolhe e desenvolve esta forma de arte alcançando extraordinárias expressões e realizações durante o XII século, como os vitrais da Catedral de Reims, de St. Denis e Chartres (esta última com uma superfície que compreende um total de cerca de 7.000 metros quadrados).

Os vitrais se desenvolvem com a arquitetura romântica mas a grande revolução e o seu momento de máximo esplendor se dá com a arquitetura gótica. Neste período os vitrais, cúmplices pela sua particular linha arquitetônica, se ampliam e se lançam alcançando e superando os três metros de altura. Em torno ao século XIV se pode presumivelmente datar a descoberta do "amarelo de prata" que consente o enriquecimento de tonalidades cromáticas sob a mesma chapa de vidro e confere luminosidade e profundidade às cores.

Na Itália esta forma de arte se afirma mais tarde em consideração à França, Espanha e Alemanha e se caracteriza principalmente pelo excessivo uso da grisaglia assumindo características de uma verdadeira e própria pintura sobre vidro. Siena, Assisi e Firenze são recordadas por suas extraordinárias realizações efetuadas pelos maiores artistas italianos. Os séculos sucessivos se caracterizam pela descoberta de modalidades expressivas entre as quais a técnica do "plaquet" (dois vidros, um transparente e um colorido, que são sobrepostos) e a introdução de esmaltes coloridos que levam a arte dos vitrais sempre mais de encontro a uma forma pictórica sobre vidro branco.

Os séculos XVII e XVIII constituem um período de declínio e apenas no século XIX se assiste a um retorno de interesse com a reascenção gótica na qual se tendeu a recuperar e redescobrir as características da arte do período passado. Se procedem numerosos restauros de obras antigas consentindo de tornar a valorizar de técnicas empregadas originariamente.

Sucessivamente será o Art Nouveau* a abrir uma nova e moderna época de expressão dos vitrais artísticos e particularmente o seu grande expoente americano Louis Comfort Tiffany*(1848-1933) capaz de inventar um novo método de construir vitrais em vidro colorido, desfrutando com grande habilidade dos jogos de luz e dos efeitos da iridescência obtidos do vidro opaco que era muito difundido naquele período.

A partir deste momento até os nossos dias, os vitrais artísticos passaram a ser cada vez mais usados como um objeto de decoração "profano" evidenciando um seu destaque cada vez maior do seu uso fora do âmbito exclusivamente religioso dos séculos precedentes.

 

 

 

sign top
Imagem Superior Páginas
 
HostMídia: construtor de sites
HostMídia HostMídia: construtor de sites HostMídia: hospedagem de sites HostMídia: recursos VoIP HostMídia: registro de domínios HostMídia: revenda de hospedagem HostMídia: servidores dedicados HostMídia