Imagem Lateral
home
Menu Lateral
Pinturas e Esculturas de Damien Hirst
Seta Menu Pinturas Artistas pinturas

 

 
Pinturas e Esculturas
veja a apresentação
 
     
 
Cornucopia
veja a apresentação
 
     
 
Pinturas
veja a apresentação
 
     
 
Formol
veja a apresentação
 
     
 
Círculos
veja a apresentação
 
     
 
Borboletas
veja a apresentação
 
     
 
Caveiras
veja a apresentação
 
     
 
Vários
veja a apresentação
 
     

 

 

Damiel Hirst é um artista que faz uso de muitos símbolos, arquétipos e ícones universais em sua linguagem. Hirst é considerado como o tubarão da arte contemporânea. Suas obras são cotadas a preço de ouro. O Sunday Times calculou a sua fortuna em cerca de 364 milhões de dólares (261 milhões de euros). Nasceu em 1965 em Bristol, Inglaterra. Em 1988 estudou no Goldsmiths College of Art e organizou uma exposição coletiva "Freeze" onde chamou a atenção do colecionador Charles Saatchi. Na sua saída do colégio de arte em 1988 foi nomeado chefe da nova geração de artistas britânicos.

Durante os anos da década de 1990 constituiu-se como líder dos "Young British Artists" (ou YBAs), Jovens Artistas Britânicos, dominando a arte britânica durante essa década e sendo amplamente conhecido internacionalmente. No início da sua carreira esteve muito ligado ao importante coleccionador Charles Saatchi, que foi responsável pelo seu enorme e rápido êxito com um muito dirigido trabalho de marketing. Em 2003 a relação rompeu-se completamente por grandes desavenças entre ambos.

Em 1992 fez a sua primeira exposição dos jovens artistas britânicos. Um choque mostrando "The Physical Impossibility of Death in the mind of Someone Living" (Impossibilidade física da morte na mente de alguém vivo), um tubarão conservado dentro do formol. Esse seu trabalho mais icônico e polémico contendo um enorme tubarão tigre numa vitrina cheia de formaldeído, foi vendido em 2004 como a segunda obra mais cara de um artista em vida (depois de Jasper Johns), rondando os dez milhões de dólares. Devido à decomposição do tubarão-tigre, foi substituído com um novo espécime em 2006.

Em 2003 expõe seus monocromos negros habitados por moscas mortas, vitrines com caveiras representando Cristo e os apóstolos. Suas instalação apresentam também sangue animal.

Em 2004 vende para a decoração do restaurante de Nothing Hill "The Pharmacy" por aproximadamente 16 milhões de euros.

Filho de um mecânico de Leeds, Hirst é provocador e polêmico. Cortando touros, carneiros e vacas provocou escândalos expondo esses cadáveres. Ele se aproveitou também de armários de farmácia, e uma contendo 6136 pílulas fabricadas a mão foi vendida por 19,2 milhões de dólares. O maior choque se deu em 2008, quando ele passou diretamente nas galerias para vender 220 de suas obras. Contra todas as previsões, foi um sucesso e ele obteve 140 milhões de euros por elas.

Damien Hirst conta com aproximadamente 95 assistentes na realização das suas obras. Ele deseja fazer uma arte o mais real possível, que evoque realmente a natureza humana. Ele prefere instalar um tubarão real dentro de uma galeria do que pintá-lo sobre uma tela ou projetar imagens.

Hirst é um dos artistas mais ricos do mundo. Ele produziu cerca de 600 obras, podendo ter produzido facilmente 2000 se a sua preocupação fosse voltada ao comércio.

A morte é o tema central da sua obra, que sempre esteve rodeada de grande polémica mais ou menos premeditada e por conseguinte de um grande seguimento mediático; por exemplo, as autoridades de Nova Iorque proibiram a exposição do seu "casal morto fodendo duas vezes", dos cadáveres de um touro e uma vaca flutuando em formol. Esta última pertence à sua série de obras mais conhecida, Natural History na qual distintos animais mortos como um tubarão, uma ovelha ou uma vaca são conservados e por vezes cortados dentro de tanques de formaldeído.

 

Em Agosto de 2007, este escultor vendeu por 100.000.000 USD (cem milhões de dólares), a obra "Pelo amor de Dios", que consiste num crânio com mais de oito mil diamantes incrustados. O montante desta transação é o mais alto pago até à data por uma obra de um artista vivo.

Damien Hirst é ainda conhecido por seus "spin paintings", realizados sobre uma superfície giratória, e pelos seus "spot paintings", círculos coloridos aleatoriamente.

A exposição Cornucopia (de 2 abril ao 30 de setembro de 2010) no Museu Oceanográfico de Mônaco que acolheu o artista Damien Hirst, referência maior dentro do universo da Arte Contemporânea, reuniu umas sessenta obras significantes, entre elas algumas de suas primeiras pinturas e esculturas. Uma mostra excepcional de suas criações, traçando uma retrospectiva de seus últimos 15 anos de trabalho, dentre elas obras inéditas.

 

 

Pomba Branca

Durante a exposição Cornucopia em 2010, no hall de entrada do Museu Oceanográfico de Mônaco uma pomba branca solitária, de asas abertas com um ramo de folhas de oliveira verdes entre o bico, imersa em uma vitrine cheia de formol recebeu os visitantes.

Um dos mais reconhecidos símbolos da paz é a pomba branca. A sua origem data história de Noé e da sua Arca. Um desses episódios é narrado no capitulo 8 do Gênesis, primeiro livro do Velho Testamento. Noé, que esperava na Arca o fim do dilúvio, mandou um animal mensageiro para ver se as águas haviam baixado. O primeiro escolhido foi o corvo, que ficou voando para lá e para cá e perdeu a oportunidade de ganhar a simpatia da humanidade. Então Noé enviou uma pomba, na primeira viagem, ela não encontrou nenhum lugar para pousar. Sete dias depois, foi novamente solta e retornou com um ramo de oliveira no bico. Isso, de acordo com a narrativa bíblica, simbolizava a Paz entre Deus e os homens. Além disso, o ramo de oliveira significava também garantia de alimentos de remédios e da benção divina. Assim que Jesus foi batizado, o espírito de Deus desceu sobre ele sobre em forma de uma pomba. Desde então, a pomba é associada ao Espírito Santo. Apesar de não haver menção de cor destas pombas na bíblia, os costumes da época explicam porque, nas representações elas sempre são brancas.

Outra história bíblica também confere à ave a imagem de imensidão ternura e Paz. A cor branca também indica ausência de cores representando a luz e a pureza. Desta forma, a pomba da paz teve um impulso diante das guerras nos séculos XX, simbolizando a serenidade. A milhares de anos o ramo de oliveira representa a Paz e a boa vontade, por isso que ela aparece com  uma pomba branca.  No inicio dos anos 60 o pintor espanhal Pablo Picasso eternizou a pomba branca como símbolo da Paz em uma série de gravuras que se tornaram famosas mundialmente. Outros artistas também ajudaram a popularizar o ícone, que foi utilizado em manifesto e tratado internacionais, como o congresso da Paz de 1949 realizado em  Paris. Observação: diz a lenda que o diabo e as bruxas podem se transformar em qualquer pássaros, exceto em uma pomba branca.

A Pomba Branca de Hirst pode representar então o símbolo da paz, ele mesmo, ou ainda a constatação da morte física do que está na origem desse símbolo. De qualquer maneira permanece o fato em toda sua força de que o símbolo sobrevive à morte e de que o significado das coisas transcende a morte. Neste trabalho, na base central do inferior do quadro, encontramos um crânio humano e no alto uma pomba branca dentro de uma vitrine de formol.

 

 

Tubarão

Na grande sala de entrada do museu na exposição Cornucopia de 2010 de Damien Hirst no Museu Oceanográfico de Mônaco, um enorme tubarão de boca aberta com seus dentes enormes e terrificantes, flutuou inerte no oceano limitado de formol. É a presença desse "tubarão" simbólico, extremamente ameaçador, que nos leva a empreender mudanças o quanto antes. Geralmente é necessário algum tipo de "ameaça" para iniciar o processo de mudança. Simbolicamente o "tubarão" representa o fator que nos obriga a mudar suas atitudes para escapar de seu ataque. A presença do tubarão gera o medo que corresponde a algum tipo de perda: de qualidade de vida, da posição conquistada, de um amor e inclusive da própria existência.

O famoso tubarão de Hirst "The Physical Impossibility of Death in the mind of Someone Living" (Impossibilidade física da morte na mente de alguém vivo) talvez simbolize a potência dessa agressividade inerte, ou mesmo, ali imortalizado nessa câmara mortuária de formol, a impotência e a impossibilidade de um ataque definitivo desse predador.

 

 

As Borboletas


O significado essencial da borboleta baseia-se em sua metamorfose de ovo para lagarta e da crisálida, presa à rigidez da morte, para inseto alado com cores brilhantes, voltando para a luz do sol. Por isso, na antiguidade, já era considerada um símbolo da alma, pelo fato de não se extinguir após a morte física.

Em suas telas que representam borboletas (apresentadas na mostra Cornucopia no Museu Oceaonográfico de Mônaco em 2010) Hirst não faz aparentemente referência à origem, a lagarta. As suas borboletas fazem uma variação do tema sobre o tema. Um enorme mosaico composto de centenas e centenas de asas de borboletas (obviamente mortas) formam uma borboleta (não necessariamente morta) e a enquadram. Todo esse trabalho é desenvolvido de uma maneira calculada e distribuído o mais simetricamente possível no seu contorno. Somente corpo da borboleta se apresenta um pouco mais livre dessa simetria e dessa ordem. Um verdadeiro mosaico composto de asas verdadeiras de borboletas mortas.

 

As grandes borboletas significam talvez a vida, rodeada da morte, ou mesmo, recuperando a sua simbologia, a promessa da imortalidade. E também o fato de ter em torno a si os seus semelhantes e de guardar essa raíz explícita que são as nossas origens.

As borboletas estão presentes em inúmeras obras apresentadas na mostra Cornucopia de Damien Hirst. Curiosamente uma das escolhas de desenhos de tatuagem mais populares para mulheres, a borboleta revela a influência feminina na cultura da tatuagem. Por causa da  curta existência da borboleta, muitos povos antigo viram isto como emblemática do impermanente. Viajando no simbolismo da Mitologia e do significado da borboleta como desenho de tatuagem verifica-se que poucas imagens são mais populares no mundo da tatuagem do que a borboleta. Sejam representadas  livres na natureza ou pousada em uma flor, a beleza e o significado da tatuagem de borboleta continua insuperável. Poucos disputam o esplendor na simetria, cor e forma desses desenhos criativos. A trajetória da borboleta começa no verão e é igual em todo o mundo, são milhares de tipos diferentes, assim como a andorinha, algumas espécimies aparecerão no céu e em peregrinação atravessarão o pacifico para lançar seus ovos e dar inicio a seu ciclo vitalício e transformação de ser o mais  belo de todos insetos, não podemos esquecer que quando a eclosão dos ovos são simplesmente  lagartas. Esta é a magia da sua perseverança e a mensagem em sua capacidade de se transformar.  

Borboletas como desígnio de tatuagem são desenhos mais populares do que  flores, animais, dragões, fadas ou qualquer outro motivo. Estas incríveis criaturas conseguem cativar a nossa imaginação e têm atraído inúmeros indivíduos que decoram permanentemente a sua pele. Talvez seja a infinita variedade de cores e padrões que as tornem tão populares. Talvez seja a forma brilhante e bonita de suas asas que mostram um flash de cor à medida que vooam e dançam e nos transmitem  a leveza e liberdade que só ela consegue nos passar. A forma e a simetria das borboletas têm inspirado tatuagem artistas e ilustradores para criar uma incrível variedade de desenhos surpreendentes.
  

Borboletas são muito associadas a fadas, pois geralmente emprestam sua asas a elas em outras vezes podemos ver a associação de borboletas em tatuagem, desenhos, pinturas, fotografias e ilustrações borboletas e fadas andam sempre juntas. Crianças e adultos possuem grande fascinação em desenhar  isso não ocorre meramente pela  simetria das asas e sim pela sua caleidoscópica beleza. Devido à sua beleza temporária e a dramática transformação de lagarta para borboleta, a imagem da borboleta toma muitos significados diferentes. Para a maioria das pessoas representam a mudança e crescimento. O mistério de mudanças na forma de uma lagarta para uma borboleta, durante o tempo em que esta no casulo provocou histórias e mitos que são tão variadas e interessantes como os padrões que elas vem exibir. Bem como representa metamorfose, borboleta como desígnio de tatuagem pode representar liberdade, a existência de vida, vida após a morte, e de amor divino. A diversidade do simbolismo da borboleta é infinita.

Na mitologia grega, Psique foi representada em arte com asas de borboleta. Culturas diversas também consideraram a borboleta como um símbolo de transformação e regeneração. As almas eram levadas pela borboleta da terra para céu, ou em alguns casos as borboletas eram as almas que estavam voltando a terra. 

Deusas borboletas emergiram em lugares como como Minoan, Crete e Toltec. No México se acreditava que algumas destas deidades eram a personificação de certas borboletas, consideradas como símbolos de beleza e do amor. 

No Japão, a borboleta, pronta para voar significa estar livre de seu feitiço depois de um longo no casulo já com esparramando sua marca asas novas. É um símbolo popular para meninas jovens, que representa a beleza, com a intenção a considerar mudança jovial, não traumática, muito comum nessa fase da vida. No Japão, surge associada à mulher, visto que a metamorfose do seu ovo para lagarta, desta para crisálida e, seguidamente para borboleta, indica as etapas da nossa alma para atingirmos a iluminação.

Os indígenas americanos as tem como um emblema de orientação em mudança.

Na China, é ainda um símbolo popular de felicidades matrimoniais e harmonia conjugal. 

Na Alemanha, o avistar de uma borboleta pode ser considerada como um prenuncio de nascimento.

As borboletas na Cultura Maya descrevem como espíritos dos mortos se disfarçar quando retornam à Terra.

Dizem que está vindo chuva no oeste da Pensilvânia quando a “Chrysalis” (espécime de borboleta) paira sobre as partes inferiores dos ramos. Borboletas também podem representar abundância. Os índios Navaho e  Apaches e até tribos da pré-históricas no México associavam a imagem das borboletas a colheita de verão. Os Hopi “Clan Borboleta”  possuíam uma dança cerimonial chamada "Bulitikibi”, ou Dança da Borboleta, como um apelo para que os deuses lhes dessem  uma boa colheita.

Borboletas foram também conhecidas como o símbolo das bruxas, devido à sua inerente capacidade transformadora e da magia. Os Sérvios vêem a borboleta como a alma de uma bruxa porque muitos anjos medievais possuíam asas de borboleta, em vez de penas. Artistas por vezes incluem borboletas para adicionar um toque feminino ao trabalho artístico.

Borboletas são a metáfora clássica de transformação e derradeira liberdade, bem como a impermanência e fragilidade.

Estes são apenas alguns exemplos das centenas de metáforas, mitológicas e simbólicos significados da borboleta como desenhos de tatuagem. Estamos continuamente adicionando mais significados para essa lista. Considere todos esses  significados  quando você for escolher a borboleta como um ornamento para a sua pele.

Porém a borboleta para seus admiradores significa o mistério de natureza e a riqueza de imaginação humana. A borboleta é o símbolo da alma, pois da mesma forma que esta abandona a crisálida para voar, o espírito também se liberta do corpo físico para ganhar espaço infinito. Representa ainda o renascimento e a imortalidade.

A borboleta simboliza a mudança. O poder da borboleta é como o ar, é a habilidade de conhecer a mente e de mudá-la, é a arte da transformação. As pessoas deveriam observá-las atentamente e, assim como elas, estar em algum dos seguintes estágios de atividade:

1. Estamos no primeiro estágio - quando a ideia nasce, mas ainda não é uma realidade, é o estágio do ovo, o ponto de criação de uma idéia;

2. O segundo estágio - da larva, surge quando temos que tomar uma decisão;

3. O terceiro estágio - do casulo, é o desenvolvimento do projeto, é fazer para realizar;

4. E o estágio final - a transformação, é deixar o casulo e voar, é a realização.

 

 

As Mandalas

 

Encontramos as borboletas nas mandalas de Damien Hirst. Fabulosamente coloridas e feitas em telas redondas com asas de borboletas, estas telas nos lançam no universo mágico da mandalas.

 

Mandala deriva do sentido da linguagem hindu "círculo concêntrico de energia". Um círculo representa a proteção, boa sorte, ou da conclusão. As mandalas tem ligação com o movimento em espiral da consciência geometria sagrada, da psicologia e da cura. Este termo de origem hindu tem sido utilizado em diversas interpretações e religiões.

O mandala é um símbolo universal usado por praticamente todas as civilizações através da história. É um poderoso elemento em psicoterapia que facilita a pessoa se centrar com seu próprio poder, e o poder do cosmos. Quando uma pessoa aprende a desenhar o seu próprio mandala, ele funciona como uma fotografia do seu inconsciente, mostrando o passado, o presente e o futuro potencial. O mandala facilita à pessoa  se abrir para a sua própria criatividade, e facilita o crescimento psicológico e espiritual.

Mandala é a palavra sânscrita que significa círculo, uma representação geométrica da dinâmica relação entre o homem e o cosmo. De fato, toda mandala é a exposição plástica e visual do retorno à unidade pela delimitação de um espaço sagrado e atualização de um tempo divino.

Em termos de artes plásticas, a mandala apresenta sempre grande profusão de cores e representa um objeto ou figura que ajuda na concentração para se atingir outros níveis de contemplação. Há toda uma simbologia envolvida e uma grande variedade de desenhos de acordo com a origem. A mandala representa para o homem o seu abrigo interior onde se permite um reencontro com Deus.

 

 

Pedras Preciosas

Na exposição Cornucopia de Mônaco em 2010 as quatro vitrines espelhadas de Damien Hirst com chaves e prateleiras com pedras preciosas distribuídas de maneira a respeitarem a mesma distância milimétrica entre elas fizeram brilhar os olhos dos visitantes.

Essas pedras lapidadas de diferentes dimensões e da mesma cor (uma vitrine com pedras verdes, outra com vermelhas, outra com azuis e outra com diamantes) mostram a ostentação da riqueza, ou da riqueza ao alcance de todos, visto que as chaves estão penduradas em suas respectivas vitrines. É também o caráter demonstrativo da riqueza, na sua intenção de mostrar a perfeição (a perfeição da ordem, da distribuição). É o mundo das aparências.

 

As Pedras preciosas despertam o interesse dos homens desde a antiguidade. Através dos séculos foram utilizadas como adornos, como instrumentos de prevenção e cura de doenças e como talismãs e amuletos de proteção. Existem diversas bibliografias sobre as pedras preciosas que trazem uma descrição detalhada de suas propriedades curativas e mágicas.

As obras de Hirst são ricas de símbolos e de senso estético que paralisam o visitante. Impossível não resistir à tentação de se aproximar das suas obras. Veja a apresentação de algumas pinturas e esculturas de Damien Hirst*, a apresentação de imagens da exposição Cornucopia de Damien Hirst* no Museu Oceanográfico de Mônaco, a apresentação de pinturas com círculos de Damien Hisrt*, a apresentação de animais conservados em formol de Damien Hirst*, a apresentação de Pinturas de Damien Hirst*, a apresentação de composições com borboletas verdadeiras de Damien Hirst*, a apresentação de caveiras de Damien Hirst* e a apresentação de trabalhos variados de Damien Hirst*.

 


 

 

sign top
Imagem Superior Páginas
 
HostMídia: construtor de sites
HostMídia HostMídia: construtor de sites HostMídia: hospedagem de sites HostMídia: recursos VoIP HostMídia: registro de domínios HostMídia: revenda de hospedagem HostMídia: servidores dedicados HostMídia